quinta-feira, 25 de julho de 2013

POESIA: EUGÊNIO DE ANDRADE - A BOCA

poesia: eugénio de andrade / a boca: A boca, onde o fogo de um verão muito antigo cintila, a boca espera (que pode uma boca esperar senão outra boca?) espera o ...